Odontopediatria em pauta

Atenção: o cuidado com os dentes dos filhos deve começar no período da gravidez

Bebês, crianças e adolescentes com problemas bucais não é nada fácil. Quem é pai e mãe sabe disso melhor do que qualquer pessoa, por isso mesmo é que eles têm toda razão quando se preocupam com a saúde bucal de seus filhos até mesmo antes deles nascerem. Levá-los ao odontopediatra regularmente deve fazer parte da agenda de pais responsáveis. E é aí que entra a odontopediatria, que trabalha desde o período do pré-natal, com a odontologia intrauterina, até a adolescência.

cuidado com os dentes das crianças

No período do pré-natal

os especialistas explicam para os futuros pais sobre a formação da cavidade bucal, os cuidados que se deve ter com alimentação da gestante e suplementos, assim como estágios de desenvolvimento dos dentes do bebê; isso sem falar que eles também dão orientação às mães sobre a importância da higiene bucal dela para evitar a gengivite gravídica, comum nessa época por causa das alterações hormonais, quando a gengiva da gestante fica com tendência ao sangramento.

A primeira visita da criança ao odontopediatra deve ocorrer por volta dos seis meses de vida, quando se dá início ao processo de erupção dos primeiros dentes. Mas é preciso alertar aos pais que mesmo antes dessa primeira consulta é importante cuidar da limpeza da cavidade bucal do bebê, mesmo sem dentes.

Durante a primeira visita

o especialista dará orientações sobre dieta, higiene, aplicação de flúor, uso adequado da mamadeira e chupeta e correção de maus hábitos, como a sucção de dedo. Tudo isso influencia em muito a saúde bucal dos bebês, futuras crianças e adolescentes.

Com o acompanhamento do odontopediatra ao longo do crescimento é possível diagnosticar de maneira precoce qualquer anormalidade, como projeção dos dentes para fora das arcadas, falta de espaço para os dentes permanentes ou mordida aberta, cruzada, profunda, por exemplo. Lembre-se: a prevenção ainda é o melhor remédio, por isso procure um especialista em odontopediatria para um atendimento personalizado de seu filho.

Flúor: quando usar?

A água de abastecimentos de São Paulo, por exemplo, já contém flúor, o que, junto com visitas ao dentista e a limpeza correta, ajuda no não desenvolvimento de cárie. Por outro lado, a criança de até 3 anos pode engolir a pasta dentária e a água fluoretada, o que aumenta a dosagem de flúor e pode causar manchas brancas nos dentes, a chamada fluorose. O mais recomendável para essa faixa etária é o uso de pastas sem flúor. Quando a criança aprender a cuspir, poderá usar as pastas fluoretadas com porção do tamanho de um grão de arroz ou de uma ervilha.

O uso do flúor é muito importante para quem está em formação, pois ele fortifica e protege o esmalte dos dentes, previne a formação de placas bacterianas e combate as placas quando elas se formam.

Cárie: e agora?

Fique atento para qualquer mancha branca nos dentes. Depois disso, aparece uma cavidade que começa a escurecer e pode vir a doer. Se você não faz a prevenção regularmente e notar que o dente do seu filho pode estar cariado, marque uma consulta com o dentista o quanto antes. E não se preocupe porque as técnicas utilizadas hoje e os materiais são todos de última geração. Não há mais motivo para medo, especialmente do motorzinho que, no caso das crianças, quase não é usado, já que os especialistas utilizam o tratamento baseado na remoção químico-mecânico, ultrassom e jato abrasivo.

 

FALE COM A TOP ODONTO

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Assunto

Sua mensagem

Digite este código de segurança no campo abaixo: captcha

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *