Você sabe se tem mau hálito? E, se tem, de onde vem esse mau cheiro?

É muito difícil você saber se tem mau hálito, tudo porque o mau hálito é mais fácil de ser detectado em outra pessoa. Nós não temos a mesma facilidade que o outro tem em sentir nosso hálito. Uma boa maneira de saber se tem esse problema é pedindo para que seu dentista avalie a cavidade oral e analise o fluxo salivar. Os exames para o diagnóstico incluem exame físico do paciente, análise do fluxo salivar, questionários específicos e, em casos mais raros, exames de sangue e endoscopia.

Halitóse

O mau cheiro que sai quando a pessoa expira pela boca é indesejável e chega a ser repulsivo. Além de alertar que sua boca tem algum problema de saúde, o mau hálito pode causar afastamento de colegas de trabalho, término de namoro, isolamento em relação à família e diminuição drástica de um convívio social saudável.

Mas, afinal, por que algumas pessoas desenvolvem o mau hálito, ou a chamada halitose? Existe um mito de que o mau hálito venha do estômago, mas o mau cheiro só tem origem no estômago em raros casos de diverticulose esofágica, quando o paciente fica, de forma passageira, com o hálito com odor caracteristicamente ácido.

A grande verdade é que a maioria dos casos de mau hálito (90% a 95%) tem origem na boca, especialmente quando se tem a língua saburrosa, cáseos amigdalianos e doenças da gengiva não tratadas. A saburra aparece quando há uma diminuição da produção de saliva e é formada uma placa bacteriana esbranquiçada ou amarelada localizada no dorso posterior (fundo) da língua, levando à halitose. Já o cáseo amigdaliano é uma massa viscosa, com odor extremamente desagradável, que se forma em pequenas cavidades existentes nas amígdalas (criptas amigdalianas) e pode ser expelida durante a fala, tosse ou espirros. Além da língua saburrosa e dos cáseos amigdalianos, as doenças da gengiva (gengivite e periodontite) podem também causar a halitose. Fique fique atento também a outras possíveis causas do mau hálito, como cárie aberta, abcessos, câncer de boca, próteses mal adaptadas, infecções na garganta, entre outras.

Há a possibilidade, ainda que bem menor (5% a 10%), da halitose ser causada por jejum prolongado, respiração pela boca, hipoglicemia, dieta severa, depressão, diabetes, alterações hepáticas, renais e intestinais, e ingestão de alimentos ou bebidas capazes de alterar o hálito.

Cuidado com sua boca

Manter uma higiene bucal adequada, principalmente com uso do fio dental, é muito importante para que seu hálito não sofra alteração. Além disso, evite fumar e ficar muito tempo sem comer: Lembre de escovar a língua com o limpador de língua, pois ele é próprio para isso, diferente das cerdas que servem apenas para escovar os dentes. E, o mais importante: consulte sempre seu dentista, ele é o profissional especializado e indicado para você começar a investigar a causa do mau hálito.

Em tempo

Atente para o fato de que os líquidos antissépticos bucais promovem apenas um alívio temporário, não a cura da halitose.

FALE COM A TOP ODONTO

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Assunto

Sua mensagem

Digite este código de segurança no campo abaixo: captcha

 

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *